sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Forbidden Love - 04

 
Capther Four - The first of many
 

 
Venezuela, 11:35 am.
Posso confessar uma coisa?
Senti-me super estranha quando Harry me viu fumando, ele ficou meio que, desapontado , sua expressão não me enganou , eu vi em seus olhos , num momento estava "brilhando" e no outro me pareceu triste.
<p>Não gosto desse meu vício, o cigarro. Comecei a fumar muito cedo, com dez anos eu acho, conheci a maconha com meu pai, e depois fui conhecendo as outras drogas, experimentei todas possíveis, mais me mantive firme com a maconha e o cigarro. Quero muito parar de fumar, sei que isso faz mau para a minha saúde , mas é mais forte que eu esse vício, já tentei parar, um mês sem nada, não aguentei mais que isso.
Acordei com os passarinhos cantarolando na janela que esqueci aberta. Um erro. Não se deve deixar a janela aberta em uma missão. Levantei morrendo de preguiça ainda, e fui direto para o banho. Vamos colocar a missão em prática hoje, e o primeiro passo é investigar a área. Já está tudo certo com os meninos, conversamos sobre isso antes de começarmos a beber.
A ideia era se passarmos por turistas. Como o dia estava quente, e eu entraria em meu disfarce de "menininha”, vesti uma saia balone de cintura alta rosa e um top branco de renda, e uma sapatilha também branca deixou meus cabelos soltos e enrolei só as pontas, uma maquiagem leve. Peguei uma bolsa pequena e a bolsa que eu separei os equipamentos necessários.
Os meninos já estavam na sala me esperando, todos arrumados, e gatos. Zayn em seu estilo badboy, Liam um pouco mais sério e Harry normal, como antes, como ontem.
- Nossa, para uma matadora, até que você tá... - Zayn me olhou dos pés a cabeça - bem fofa.
- Como estou em meu disfarce eu agradeço - fiz reverência e ele riu- e aí Liam, você é a cabeça do grupo, alguma ideia?
- Sim, eu investiguei ontem, sobre o nosso alvo.
- Alvo? - Harry perguntou.
- É alvo, - ele riu - Simon disse que ele estaria num hotel perto de nos, mais ainda não sei qual, eu dei uma olhada na ficha dele e em alguns lugares onde ele gosta de ir, alguns deles são bares, boates, restaurantes luxuosos, até um casino ilegal.
- Ótimo, - vai dar tudo certo o que eu planejei - olha eu separei alguma coisas para hoje - eu gosto tanto dessa parte, eu adoro os "brinquedos" que o Simon arruma para as missões - aqui estão algumas - entreguei uma 38 pro Harry, um soco inglês pro Zayn e uma arma pro Liam também, coloquei uma escuta em cada um, assim podíamos nos comunicar facilmente. - Vamos descer e sermos turistas, como está quase na hora do almoço, sugiro para irmos a um dos restaurantes que ele frequenta.
Tudo em seu devido lugar, tudo marcado, tudo certo, e lá vamos nos.
Saímos do hotel juntos, quatro amigos curtindo uma viagem em Venezuela.
Devo admitir, os meninos são muito bons em se misturar. Resolvemos ir a pé, assim prestaríamos mais atenção. Saímos rindo e conversando coisas nada a vê. Coisas aleatórias, tipo "emprego”, amores, viagens essas coisas, coisas do dia-a-dia. Sempre rindo, sempre fingindo.
Andamos um pouco sobre as ruas, fomos a uma praça, e paramos no restaurante aonde o nosso alvo segundo Liam, ia muito.
Separamo-nos. Sentei numa mesa separada, um pouco afastada e os meninos em uma mesa logo atrás da minha.
Depois de mais ou menos dez minutos, nosso alvo chega acompanhado com uma mulher. Pude perceber que fora do restaurante, na entrada tinham dois homens. Numa mesa ao lado outros dois. Tinha que anotar tudo que ele fazia, então peguei um caderno pequeno dentro da minha bolsa, e fui anotando.
Mulher alta, loira, olhos verdes, cabelos longos. Quatro seguranças, dois morenos altos na entrada, dois numa mesa, um baixo com cabelo enrolado e o outro alto e loiro. Pistola, um soco inglês num colar, uma chave disfarçada de canivete e duas armas, na cintura dos seguranças na entrada.
Dez minutos depois ele saiu. Esperei um pouco e sai logo em seguida, e os meninos atrás.
- E agora? - perguntei ao Liam.
- Vamos continuar seguindo ele, precisamos da rotina dele antes de marcar o bote.</p>
- Concordo - Harry disse.
- Vamos seguir ele então? - Zayn perguntou disfarçando.
- Sim, - respondi - vão até o hotel você e o Liam, a chave do carro está no vaso do lado da televisão da sala, - fiz uma pausa e respirei fundo - pelo amor de Deus tomem cuidado com o meu bebê - fiz biquinho quase me ajoelhei na calçada, eu amo o meu carro, consegui ele com o meu dinheiro, tá , foi com o dinheiro do pagamento da última morte a quase dois meses atrás , mais mesmo assim eu dei duro para comprar esse carro - eu e Harry vamos a pé.
- Pode deixar SeuNome - Zayn disse com um enorme sorriso no rosto. - vou cuidar bem do seu bebê.
Despedimo-nos e eles foram. Seguimos nosso alvo e a mulher loira até um bar.
Observava com cuidado todos os lados. O bar estava cheio de gente, uma vez ou outra falava com Liam, ele e Zayn estava do lado de fora , vigiando de longe.
Seguimos em frente, fomos até a parte de cima do bar, revelando um casino enorme. Olhei pro Harry e ele sorria, não sei por quê.
Pegamos uma mesa perto dele. Nosso Alvo parecia se divertir com que a loira dizia em seu ouvido, revirei os olhos e percebi que não passava de uma puta.
- O que foi? - Harry perguntou e olhou para onde estava olhando - aah já entendi. - ele riu.
- Como pode? - ele soltou um "o que" dando uma golada no uski - ela ser assim, que puta. - Ele soltou uma gargalhada que me fez rir também.
Ficamos conversando e olhando para o nosso Alvo que ainda se divertia com a loira. Foi quando ele me perguntou:
- SeuNome , por que você trabalha com isso ?
Congelei em sua pergunta, ninguém tinha me perguntado isso para mim, em todas as missões eu fiz todo o trabalho sozinho, não me preocupei em ter uma resposta caso alguém perguntasse para mim, não até agora. Para falar a verdade eu só estava ali pelo dinheiro e para fazer justiça. Com o dinheiro pagaria a dívida do meu pai e ficaria livre, e poderia fazer justiça com as minhas próprias mãos, só aceitei por isso, eu queria me vingar dele, o cara que matou me pai, e essa missão veio na hora certa, mataria ele e entregaria o dinheiro ao mandante que mesmo depois do meu pai morto , continuou me perseguindo.
Nunca conversei com isso com ninguém, a não ser a minha empregada Melissa, que estava comigo desde que meu pai ficou "rico" fez dívidas e arrumou um monte de inimigos. Sempre fui sozinha, só eu e Melissa, ela é a minha melhor amiga, uma mãe, a mãe que eu nunca tive, apesar de ter quase quarenta anos, ela não aparentava a idade.
Fiquei pensando em uma resposta para Harry. Mais não verdade eu também estava esperando uma resposta, eu matava por justiça e pelo dinheiro, para uma vida melhor, tinha tanta certeza disso, tinha até agora. A pergunta de Harry foi como uma reflexão para mim, como se eu não tivesse mais a certeza do que fazia se estava certo ou não.
- Por justiça - respondi tentando acreditar no que tinha dito.
- Só isso?
- É complicado Harry, você não vai entender. - por que ele estava assim? Tão fofo? Compreensivo?
- Por que não tenta? - Harry segurou minha mão direita em cima da mesa. Meu coração foi até a goela e desceu. O toque foi um choque, minha pulsação estava á mais que o normal sem duvida. Olhei sua mão na minha e depois em seus olhos verdes. Foco SeuNome , foco.
- É... - olhei em volta procurando alguma desculpa - Droga! - Foi quando não vi nosso alvo na mesa. - o perdemos! - disse me levantando.
- Ele tá ali - Harry se levantou também e apontou com a cabeça - vem!
Ele puxou minha mão e seguimo-los com cuidado. Eles pareciam ir até um corredor ao lado do banheiro. Minhas suspeitas confirmadas, eles entraram num quarto.
Não tínhamos outra opção a não ser esperar.
[...]
O silêncio estava-me encomendando, já se passaram horas e nada deles saírem do quarto. Dava-me enjoo só de imaginar o que eles estavam fazendo lá.
Ouvi risadinhas vindas do quarto. Levantei do chão num pulo com o Harry. Eles iriam sair a qualquer momento, e estamos ali ainda, fugir não ia dar tempo, iriam desconfiar.
- O que vamos fazer? - perguntei apreensiva.
- O mesmo do aeroporto - ele olhou para porta se mexendo perguntei um "que?" quase num sussurro - Só entra no papel.
Era isso, ou isso. Nessa mesma hora Harry grudou nossos lábios com pressa, me prendeu na parede, o barulho foi alto até, não conseguia racionar nada.
 
O beijo era calmo no começo, mais pegou mais velocidade a medida que aprofundávamos o beijo. Num impulso trancei minhas pernas em sua cintura. Ouvi barulho da maçante e trinquei, Harry percebendo sussurrou um "relaxa" em meu ouvido com aquela voz rouca, que me arrepiou por inteira e voltou a me beijar.
 

Mesmo com os olhos fechados pude ver os olhares de alguém sobre nos, provavelmente do alvo e da loira. Os olhares se desfizeram quando comecei a ouvir passos.
- Esse é um dos meus! - sua voz, não mudou nada, aquela voz me perseguia em meus sonhos, como eu o odiava. Eles saíram rindo e falando alguma coisa do tipo "esse tem futuro”, "tem pegada de mestre”, "um verdadeiro homem”, sentia nojo dele, nojo misturado com raiva.
O beijo foi parando aos poucos, devo dizer que durou uns cinco minutos depois que eles se foram.
Nossa respiração estava ofegante, tentávamos pegar o ar e recuperar o fôlego. Ainda estava com as pernas em sua cintura, sua testa estava colada na minha. O primeiro de muitos...
- Ei SeuNome ! - acordei de alguma hipnose com a voz de Liam em meu ouvido, oh Deus! O alvo, esquecemos o alvo.
- Oi?! - perguntei me soltando de Harry.
- Onde vocês estão?  O alvo está saindo com o carro.
- Estamos descendo - peguei a mão de Harry e corri - vão atrás deles, alcançamos vocês.
- Ok.
Corremos até o fim do corredor, até pararmos, recuperando o folego, nos ajeitamos a saímos como se nada tivesse acontecido.
Paramos na entrada sem saber o que fazer. Tentava formular alguma coisa na minha cabeça, algum plano, uma saída, precisava ser rápida.
Dei uma olhada em volta, vi o meu carro um pouco distante de mim, precisava pensar. O que fazer? Ir a pé até eles seria impossível. Não chegaríamos a tempo. Respirei fundo, e es minha solução. Roubaria um carro.
Andei até o estacionamento que ficava atrás do bar. Rodei aquele lugar, precisava agir e tinha que ser agora. Foi quando avistei minha vítima. Pedi ao Harry para me esperar, e fui até um cara, entrando, ou tentando entrar numa 4X4 prata. Não disse nada, peguei um pano na minha bolsa, um pano que carrego sempre comigo, um pano com álcool, nunca se sabe não é? Só sei que deu certo. Pulei em seu pescoço e só soltei quando ele estava no chão. Peguei as chaves e entrei no carro. Respirei fundo e dei a partida, que loucura, pensei.
- Carona? - zuei Harry.
- C-Como?
- Entra logo vai.
Fiz aquele carro voar. Em poucos minutos estava na frente de um hotel, atrás do meu bebê, do outro lado da rua. Fomos os mais discretos possíveis, saímos do carro e fomos até o meu. Os meninos estavam do lado de fora, encarando os seguranças.
- Vem cá, - Zayn me disse assim que me viu - como você conseguiu esse carro? - perguntou apontando para o mesmo.
- Roubei - disse naturalmente.
- Ual !
- Foco, foco. - Liam disse batendo as mãos - Enquanto vocês estavam fazendo sei lá o que, - sorriu malicioso - descobrimos algo importante.
- O que? - Harry perguntou.
- Ele não vai ficar aqui - Zayn disse olhando para o hotel - vai para o Havaí.
- Hã?
- Deve está indo para lá agora. -Liam disse sugestivo. - ele descobriu que tem gente atrás dele, disse que teria que fugir e teria que ser hoje, que não podia perder tempo, ele até disse algo a respeito de " Ele voltou, só que em uma versão feminina. SeuNome não vai descansar enquanto não me vê morto" , engraçado ele disse seu nome - Liam me olhou desconfiado passando o olhar pra Zayn e Harry.
A primeira coisa que pensei foi "fudeu”, como ele descobriu que era eu que estava atrás dele? Talvez seja agora pouco, ou no restaurante, não pode ser não mantive contato visual com ele, e meu cabelo, meu cabelo tá diferente, com ele me reconheceu. Se ele me reconheceu mesmo, e mais um problema, já que ele vai querer se livrar de mim, ou seja, dois procurados, eu e ele, com o mesmo objetivo, matar.
- Minha nossa - me fiz de boba - Pura coincidência, meu nome é muito comum - tentei manter a calma nas minhas palavras, passar algo que parecido com firmeza. Eles continuaram me olhando desconfiados, bufei com a atitude deles, - vamos ficar nessa coisa ou vamos voltar ao hotel arrumar nossas malas e ir para o Havaí?


Notas : haha comentem amoores isso é mega importante para mim <3
 


6 comentários:

  1. Continuaaaaaaaaaaa essa fic ta massa

    ResponderExcluir
  2. Coooontiiinuuuaaa essa fic ta mto divaa eu to amando elaa!!!

    ResponderExcluir
  3. Bom ta otimo quer dizer perfect mas meu nome nao e muito comum poque e biblico meu nome e Mirian

    ResponderExcluir

Não esqueça de comentar!!! Pois é seu comentário que nos motiva a continuar e tentar fazer melhor sempre , amamos vocês pelo imenso carinho com a gente mesmo sem conhecer cada uma <3

Sue , Gaby , Helo , Raih e Vivian .